Lutero: o homem que desafiou o catolicismo


Um dos grandes acontecimentos que marcaram e modificaram o mundo até os dias de hoje, foi a reforma protestante. Para entender como isso ocorreu, é preciso entender o contexto histórico europeu e todos os passos que levaram ao acontecimento.

Para isso, a historiadora formada pela PUC, Thays Macedo, explicou em detalhes todo o enredo desta história.

“Martinho Lutero deu inicio a uma reforma no cristianismo em meio ao século VXI. Monge alemão, católico e insatisfeito com os dogmas do catolicismo, escreve 95 teses contestando a postura da igreja católica.” diz Thays. “Acreditava que o fiel poderia negar a igreja e mesmo assim conseguir sua salvação, pois a fé seria mais importante que a instituição. Para ele, Deus salvaria o humano pelos seus atos e sua crença e não pela compra de indulgencias. Logo ele seria excomungado pelo Papa e declarado herege.”

Imagem do Google

“Mesmo criticado pela Igreja, a monarquia alemã começa apoiar suas argumentações, afinal, viam a oportunidade de se apoderar das terras e bens da igreja e parar de pagar impostos ao clero e travar guerras em nome do catolicismo” continua. “Logo, suas criticas começaram ficar famosas, e os protestos contra a igreja começam a ganhar força, o que impulsiona o monarca Henry VIII da Inglaterra a se posicionar a favor do catolicismo e condenar as pratica de Lutero.  A relação da monarquia com a igreja católica era estreita e as criticas feitas à igreja poderiam refletir na popularidade do monarca. Então, Henry discorre vários trabalhos antiprotestantes, começando pela critica de Lutero contra a venda de indulgencias, onde o mesmo dizia que era uma forma corrupta não só do catolicismo mas da pessoa em tentar diminuir seus pecados e garantir seu lugar aos céus. 

O monge, ao saber da publicação de livros de autoria do Rei da Inglaterra que atacavam suas diretrizes, trava uma batalha literária. Essa batalha perduraria por muitos anos, com respostas escritas através de pseudônimos por parte de Henry VIII e agressões verbais por parte de Lutero, até que o monge escreve uma carta direcionada ao rei, pedindo perdão por suas palavras, e até se propôs a se retratar publicamente, mas Henry não aceita sua proposta e isso o traria, mais tarde, mais  uma consequência para essa historia. “

Quadro em exposição na Torre de Londres.
Imagem de Paula Santinati

“Em 1533 o rei da Inglaterra decide se divorciar de sua então esposa Cataria de Aragão, alegando que a mesma não lhe dera herdeiros homens, para então casar com Anne Boleyn. A Igreja Católica condenou a postura do monarca em não honrar o casamento feito aos olhos de deus e o excomunga. Henrique então decreta o Ato de Supremacia, onde o rei passa a ser o chefe supremo da igreja da Inglaterra, podendo nomear novos ocupantes para os cargos eclesiásticos ( toda a estrutura eclesial foi mantida). Fora confiscado todos os bens da Igreja Católica, seus terras e mosteiros e vendidas aos mais nobres, fazendeiros e comerciantes ( o que mais tarde daria o ponta pé inicial para as atividades econômicas capitalistas)”.

“Assim o anglicanismo se consolida na Inglaterra, fazendo parte do movimento protestante onde lá atrás, Henry VIII se negara a apoiar.  Lutero se recusa a ajudar Henry em sua jornada de negação da igreja, já que o monarca recusou-se a dar-lhe o perdão real anos antes. Tanto Lutero, quanto Henry VIII tiveram um papel fundamental na reforma protestante, mesmo com suas diferenças, suas vidas motivaram mudanças na Igreja.” termina Macedo.

2 comentários Adicione o seu

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s