5 personagens da Disney inspirados na vida real

Alguns personagens marcam a nossa infância ou até mesmo toda a nossa vida, mas você realmente conhece eles? Qual a história e inspiração por trás de nomes como Chapeleiro Maluco?

Rola pra baixo pra descobrir e se desencantar com estas revelações.

Chapeleiro Maluco

O personagem mais engraçado de Alice no País das Maravilhas foi inspirado nos vários chapeleiros que existiram durante o século XVII, os chapéus eram acessórios muito importante para a classe alta da época, pois mostrava status e poder. Na hora da confecção, era usado muito mercúrio e como os locais de trabalhos antigamente não tinham boa ventilação, eles acabavam inalando este elemento tóxico. Com isso, a maioria acabava com problemas neurológicos como desordem na fala, ansiedade e muito mais.

O criador da história,  Lewis Carrol, apenas adaptou essas características de uma forma menos perturbadora.

A balada de Hua Mulan 

Imagem do Google

Apesar da história não ser verdadeira, alguns contos antigos falam sobre uma garota que viveu entre os séculos IV e V e foi para a guerra no lugar de seu pai disfarçada de homem e lá, batalhou durante quase doze anos. Existem vários finais diferentes em cada um dos contos, um deles diz que Mulan conseguiu voltar para casa e todos tinham muita admiração pela sua força.

Mas nem todos os finais são felizes, um deles mostra como tudo mudou quando a garota voltou para casa. Encontrou seu pai morto e o seu amor nunca mais foi encontrado, com tanta tristeza e lembranças horríveis da guerra, ela cometeu suicido.

A Bela e a Fera

Imagem do Google

Essa história teria sido inspirada em um casal verdadeiro, alguns registros históricos apontam que um casal chamado Pedro e Catherine Gonsalvus, que viviam na região das Ilhas Canárias, na Espanha, durante o século XVII. Pedro tinha a síndrome de hipertricose, também conhecida como síndrome do lobisomem, onde o corpo é coberto por pelos.

Quando criança, era considerado uma raridade e por esse motivo foi dado como uma forma de presente no dia da coroação de um rei, onde foi bem cuidado e ganhou uma boa educação, porém, quando o rei morreu, a criação do garoto passou para a rainha Caterina di Medici e ela lhe arranjou um casamento. Assim que a escolhida viu a aparência de Pedro, se assustou, mas com o passar do tempo percebeu que ele era uma pessoa boa e os dois se apaixonaram.

Moana

Imagem do Google

O filme traz muitas menções aos elementos da cultura polinésia e sua mitologia. Um destes elementos é a religião daquele povo, eram politeístas e haviam uma série de deuses e semideuses que normalmente habitavam os templos das ilhas. Um desses semideuses é Maui, conhecido por criar o fogo, as horas do dia e as próprias ilhas da região.

Além disso, para fazer um filme o mais real possível, enviaram um grupo de profissionais como antropólogos e historiadores para as ilhas de Tahiti, Huahine, Moorea e Maupiti para entenderem melhor como funcionava a cultura e a real aparência do país.

Pocahontas

Imagem do Google

A jovem que estrela o filme, na verdade era conhecida como Amonute ou Matoaka, filha do líder Powhatan. Sua aldeia era localizada em uma região de Virgínia, nos Estados Unidos. Ela acompanhou a batalha entre colonos e norte americanos durante toda a sua vida.

Como a garota visitava os locais de conflito para ajudar tanto seu povo, quanto os europeus dando-lhes comida, era comum ser vista nestas áreas. Entre seus 10 e 12 anos resgatou um homem chamado John Smith mas nenhum relacionamento amoro aconteceu.

Em seus 17 anos, foi raptada para que servisse como moeda de troca entre povos, já que o líder era seu pai. Ficou presa por mais de um ano, mas foi onde conheceu John Rolfe. O homem aceitou a liberar com a condição de que os dois se cassassem e assim o fez. O primeiro casamento entre um europeu e um norte americano havia acontecido, e agora Matoaka fora batizada como Rebecca e levada para a Inglaterra.

Úrsula

A pessoa que inspirou a criação da vilã de A Pequena Sereia é uma drag queen, chamada Divine (ou Glenn Milstead).

Para a criação de Úrsula, além das características físicas, aproveitaram de parte da personalidade de Milstead, como a busca por liberdade e o sarcasmo. Como a vilã fazia parte de um filme infantil, tudo isso foi suavizado para que se adequasse ao mundo do conto de fadas.

Apesar de já ter estreado em filmes, infelizmente Divine morreu antes que a personagem da Disney fosse ao ar, mas amigos próximos dizem que ela se sentiria honrada em ter um papel tão importante para o cinema.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s