O futebol dos astecas

O futebol perfeito dos Astecas

O futebol é um esporte muito antigo, mas suas raízes estão espalhadas por diversos jogos e países, mas o jogo da civilização asteca era uma espécie de futebol bem diferente do que conhecemos hoje, já que quem perdia era decapitado.

Ou seja, para vencer o jogo era necessário evitar todo e qualquer tipo de erro, ser quase perfeito.

Por volta de 1400 a.C a civilização olmeca começou a se espalhar pelo México e a construir diversas vilas, templos e claro quadras para que as pessoas pudessem jogar e praticar diferentes tipos de esportes.

O que ficou conhecido como ollamaliztliem nahuatl no idioma deles, era uma espécie de entretenimento amigável e feito diariamente, mas quando aconteciam os jogos cerimoniais todo mundo se preparava para vencer, porque o time que perdesse seria decapitado.

O jogo na religião

Mesmo que fosse uma forma de diversão no dia a dia, o jogo tinha grande importância religiosa para aquelas pessoas, sendo ligado com o mito dos Gêmeos Heróis e também a batalha do Sol contra a Lua.

No dia a dia nenhuma morte acontecia, apenas em casos de acidentes. As mortes aconteciam apenas em jogos cerimoniais, e os mortos eram uma oferenda para os deuses.

Como jogar?

As regras variavam muito, mas a ideia principal era que a bola não poderia sair da quadra e nem cair no chão, poderia no máximo ser quicada duas vezes e passada para o próximo. O que realmente mudava eram os membros usados, podendo mudar de quadris, joelhos, punhos, cotovelos e até mesmo tacos de madeira.

A bola era feita de uma variação de plantas e borracha com 30 cm e 4kg, fazendo com que os jogadores acabassem seriamente machucados, tendo casos até mesmo de ossos quebrados e claro, poderia levar à morte em partidas feitas com a cabeça.

Mesmo que fosse utilizado uma armadura de tecido, couro e de madeira, aquilo não era forte o suficiente para impedir o impacto da forma correta.

Quem podia jogar?

Todas as pessoas poderiam jogar, mas apenas os nobres poderiam se tornar profissionais, já que apenas eles frequentavam a escola esportiva chamada Calmenac.

Geralmente as partidas eram feitas com um time de nobres contra escravos ou prisioneiros e por esse motivo alguns historiadores sugerem que tudo era armado para que em partidas cerimoniais o sacrifício fosse feito apenas com pessoas pobres e não com a nobreza.

Ao final, o time vencedor pegava a cabeça do perdedor e chutavam entre os membros do time a cabeça dos mortos.

Quanto tempo durou essa prática?

É difícil de dizer exatamente quando o jogo começou, mas sua prática durou cerca de 3 mil anos, até que a conquista espanhola chegou no território daquela civilização e dizimou todas as pessoas, juntamente com suas tradições.

A quadra esportiva mais conhecida da época era em Chichen Itza, mas ainda hoje é possível encontrar sua influencia no estado de Sinaloa, no México. O jogo atualmente se chama ulama.

Como começou o Setembro Amarelo?

Como começou o Setembro Amarelo?

O Setembro Amarelo é uma campanha feita ao longo do mês de Setembro para conscientizar as pessoas sobre os problemas emocionais, à valorização da vida e para orientar na prevenção ao suicídio. Mas como começou o Setembro Amarelo?

Tudo começou em 1994 com um homem chamado Mike Emme, nos Estados Unidos.

Ele levava uma vida comum até o dia que decidiu comprar um carro de modelo Ford Mustang 1968 e para deixar mais personalizado, reconstruiu e pintou sua nova aquisição de amarelo. Mike fez um trabalho tão bom que começou a ficar popular pela cidade e desde então começou a ajudar as pessoas com sua habilidade mecânica, como ajudar pessoas com o carro quebrado no acostamento.

Um de seus conhecidos contou a história de quando Emme tinha a intenção de comprar uma transmissão nova para seu carro e então o colega lhe disse que também precisava mas não tinha dinheiro para comprar. Foi então que Mike decidiu comprar uma transmissão usada, assim poderia pagar uma para ele e outra para seu amigo.

Certo dia, seus pais encontraram uma carta em seu quarto escrito

  “Não se culpe, mamãe e papai, eu amo vocês.”

Mike, 23:45

Quando foram até a garagem, às 23h52, perceberam que já era tarde demais e haviam perdido o querido filho. O que eles e toda a cidade não tinha entendido é que mesmo parecendo estar feliz e realizado por fora, sua mente era completamente diferente.

No enterro, as pessoas começaram a compartilhar suas histórias com o então conhecido de Mustang Mike e percebendo que o garoto tinha sérios problemas psicológicos, decidiram fazer uma cesta repleta de cartões decorados com fitas amarelas e escrito nesses cartões estava a frase “Se você precisar, peça ajuda.”

Para evitar a morte de outros, os pais de Mike decidiram criar uma fundação chama Yellow Ribbon para alertar e conscientizar as pessoas do risco desse problema. Foi então que surgiu o Setembro Amarelo, uma homenagem ao mês de suicídio de Mike Emme e ao símbolo da fita pela cesta em seu enterro.