Os 5 governantes mais tiranos da história

O conceito da tirania vem da Grécia Antiga, entre os séculos VIII e VI a.C. O conceito da palavra antigamente era: líderes governamentais que não tinham legitimidade  mas ao passar dos anos a história acabou criando outro significado para esta palavra.

Atualmente, em um governo tirano é comum o abuso de poder, a crueldade e opressão ao povo, violação de leis e também fazer ameaças a quem se opõe ao seu domínio.

Qualquer semelhança com a realidade atual é mera coincidência.

Benito Mussolini

Imagem do Google

Foi o líder da Itália entre os anos de 1922 e 1943. Conhecido por ser o criador do movimento fascista, seu pensamento era de que todos os cidadãos deveriam estar dispostos às vontades do grande chefe que ele era, já que apenas em suas mãos a Itália se tornaria um país grandioso.

Sua imagem foi inspiração para muitos líderes ao redor do mundo, como por exemplo Getúlio Vargas em sua fase de Estado Novo.

Em uma época que o mundo vivia em grandes conflitos ideológicos, Mussolini se alistou no exército para lutar na Primeira Guerra Mundial e acabou virando sargento. Ao final da guerra, se aliou com inúmeras classes sociais (de camponeses a militares) para criar o Fasci Italiani di Combattimento, uma associação paramilitar que se transformou no Partido Nacional Fascista. Conseguiu tanto apoio que o povo foi para as ruas (movimento conhecido como Marcha sobre Roma) pedir para que o rei da Itália, Victor Emmanuel III, tornasse Benito em primeiro-ministro.

Com sucesso, ele começa a liderar o país com rigidez e leis totalitárias. Além disso, também criou  operações militares em colônias italianas, como foi o caso da Etiópia. O uso de armas químicas para matar as pessoas desta colônia foi repudiado em todo o mundo todo.

Precisando de mais armamentos, se uniu a Alemanha e Japão e assim se deu a criação do que foi o causador da Segunda Guerra Mundial, o Eixo Roma-Berlim-Tóquio.

Alguns anos mais tarde, em 1943, após perder a guerra para os Aliados, o líder italiano foi deposto. Já em 1945 alguns membros da Resistência Italiana capturou e fuzilou Mussolini e sua esposa, Rachele Guidi.

Adolf Hitler 

Imagem do Google

O austríaco que sonhava em ser artista mas fracassou, pensou que era capaz de levar a Alemanha para sua era de ouro porém apenas mergulhou o país em ódio e pobreza.

Em 1914 se mudou para a Alemanha e se alistou para o exército e lutou na Primeira Guerra Mundial. Começou como mensageiro mas nunca conseguiu passar da posição de cabo, já que era estrangeiro. Após o país perder a guerra, Adolf entrou para movimentos da extrema-direita, pois não aceitava a derrota. Com isso, começou a criar teorias da conspiração, como a teoria da punhalada nas costas, onde dizia que a derrota era parte de um plano dos socialistas e judeus para sabotar a Alemanha durante a guerra.

Como resultado da luta, o Tratado de Versalhes foi adotado e o país ficou devastado, o que resultou em uma revolução interna que derrubou a monarquia e instaurou a república liberal. Com uma das maiores crises econômicas acontecendo, o cenário para quem estava no poder era um grande desafio pois toda a população estava em desespero.

Se aproveitando do momento, Hitler entrou para o Partido dos Trabalhadores Alemães em 1919 e sua influência no país começou a crescer consideravelmente até que 2 anos mais tarde ele se tornou o líder de seu partido.

Em seus discursos prometia criar uma Alemanha forte novamente e que os grandes responsáveis pela derrota durante a Grande Guerra iriam pagar.

Conseguiu virar chanceler em 1933 e logo começou uma perseguição aos seus opositores, ou seja, milhares de pessoas começaram a ser presas ou enviadas para Dachau, o primeiro campo de concentração.

Apenas um ano após estar no comando, já havia conseguido deixar apenas o Partido Nazista funcionando no país. No mesmo ano, depois da morte do presidente Hindenburg, Hitler virou presidente e começou a tomar medidas mais agressivas, criando leis discriminatórias e violentas contra judeus.

Vendo que tudo estava indo de acordo com seus planos, ele resolveu ir mais além e invadir países como Áustria e Tchecoslováquia, e então foi para a Polônia, em setembro de 1939, e assim começou a Segunda Guerra Mundial, quando países se uniram (formando os Aliados) para derrotar Hitler.

Mesmo em guerra, o então líder da Alemanha tentou anexar diversos países como por exemplo: França, Dinamarca, Holanda e Noruega.

Sua derrota foi acontecer apenas em 1945, após tirar milhares de vidas injustamente, quando tentou invadir a Rússia e o exército inteiro morreu para o extremo inverno da época.

Francisco Franco 

Imagem do Google

O famoso general espanhol criou uma ditadura entre os anos de entre 1936 e 1975 apelidada de franquismo. Após 3 anos de uma sangrenta guerra civil, Francisco ascendeu ao poder com ajuda de um regime totalitário e pelas tropas e armamentos fascista e nazista que lhe eram enviados. Em troca desses armamentos, Hitler usava a Espanha como centro de experimentação.

Por anos as minorias étnicas foram perseguidas, grupos como catalães e os que não se alinhavam aos ideais de seu governo. O franquismo foi extremamente ditatorial, nacionalista e conservador. Marcado pela inexistência de partidos políticos e sendo abertamente apoiado pela Igreja Católica.

Durante seus anos como ditador, 150 mil espanhóis foram considerados desaparecidos e mortos, inúmeras denúncias dizendo que  campos de concentração estavam sendo instaurados no país.

Durante a época conhecida como Represión Franquista, muitos sequestros, estupros, assassinatos e perseguições aconteceram. Apesar das greves e manifestações, parecia que nada podia ser feito e toda a população vivia em um constante estado de terror.

Seu comando opressivo só teve fim quando, em 1975, Franco morreu.

Augusto Pinochet 

Imagem do Google

Com uma carreira de sucesso no exército chileno, agora Pinochet queria liderar o país. Pensando nisso, aderiu ao golpe conhecido como 11 de setembro de 1973. O objetivo era tirar o presidente Salvador Allende do cargo, atacando o Palácio La Moneda, em Santiago, mas Allende cometeu suicídio durante o golpe, tornando Pinochet o governante do país.

Seu poder durou 17 anos (entre 1973 e 1990) e sua ditadura é conhecida por ser a mais autoritária e violenta de toda a América Latina. Quem não era torturado, morto ou sequestrado, simplesmente desaparecia.

Até o método de tortura envolvia agressões sexuais, segundo o El País.

“De acordo com os depoimentos, as violações hétero e homossexuais foram cometidas de maneira individual ou coletiva. Em alguns casos foi denunciado, além disso, que esse estupro ocorreu diante de familiares, como um recurso para obrigá-los a falar”, diz a reportagem.

Criou também profundas reformas econômicas, e conseguiu ampliar a desigualdade social cada vez mais.

Após vários anos, em 1988, pressionado por inúmeros protestos, Augusto decidiu criar um plebiscito para que a própria população decidisse se ele deveria continuar no poder ou não. Após o resultado de apenas 56% da população falando que não o queria mais como governante, as eleições presidenciais finalmente decidiram um novo presidente.

Fidel Castro

Imagem do Google

Embora dissesse que seu governo era “do povo humilde para o povo humilde” , Fidel era de família rica e também não ajudou os humildes, já que a pobreza reinava em seu governo. Mas quem não concordasse com ele, acabaria preso ou morto. Trouxe para Cuba muitos anos de opressão e paternalismo

Seu governo começou em 1959 e só terminou em 2008, e levou 8.190 à morte e 200 ao desaparecimento.

Antes de ascender ao poder, organizou alguns atentados contra o ex-presidente de Cuba, Fulgêncio Batista, juntamente com seu irmão (Raul Castro) e depois incluiu seu amigo (Che Guevara) nos planos.

Após conseguirem apoio suficiente, começaram uma guerrilha contra o Governo. Fulgêncio encontrando -se em uma situação delicada, achou melhor simplesmente fugir do país. Logo Fidel entrou no poder, e como todo político, começou fazendo promessas de que tornaria o país melhor e mais estável.

Durante todo o seu governo, foram planejadas mais de 600 tentativas de assassinato contra ele mas nenhuma foi bem sucedida.

Apesar de todas as atrocidades, conseguiu criar um sistema educacional e de saúde bons.

2 comentários Adicione o seu

  1. Muito interessante Paula! Não podemos apagar a História.

    Curtido por 1 pessoa

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s