5 igrejas históricas de Minas Gerais

No dia 2 de dezembro Minas Gerais completa 301 anos. Para comemorar este maravilhoso estado, nada melhor do que conhecer sua história e as diversas cidades. Então conheça Minas Gerais através das 5 igrejas históricas mais impressionantes.

Santuário de Bom Jesus de Matosinhos – Congonhas

Imagens por Paula Santinati

No ano de 1985, este santuário se tornou Patrimônio Cultural Mundial pela UNESCO por ser considerado uma das mais importantes obras-primas do barroco do mundo e principalmente da arquitetura colonial brasileira.

Ao entrar na igreja, você se depara com uma linda escadaria e 12 estátuas dos profetas feitas em pedra sabão. Já no interior da igreja, você encontrará arte em estilo rococó e rica decoração em madeira e ouro. Este é um local importante para os milhares de peregrinos que viajam todos os anos para fazerem suas devoções no Santuário.

Antes de ir embora, deve seguir para a frente da igreja, onde é possível encontrar uma das coleções mais completas de esculturas de imagens sacras no mundo, feita por Francisco Antônio Lisboa, mais conhecido como Aleijadinho. Dentro das 6 capelas, estão abrigadas 66 esculturas de madeira que simbolizam a Paixão de Cristo.

Em 1957 o papa Pio XII elevou a igreja para basílica menor, um modelo de igreja desenvolvido pelos romanos na Grécia Helenística.

Igreja Matriz de Santo Antônio – Tiradentes

Imagens por Paula Santinati

Sendo o templo católico mais antigo de Tiradentes, é possível ver grande influência da arte barroca com traçados rococó de Aleijadinho. Existe uma decoração extraordinária em seu interior, além das belas pinturas, podemos encontrar lindos detalhes feitos em ouro.

Para chegar até lá, você deve passar por uma escadaria com balaustradas feita de pedra-sabão.

É possível vê-la de vários pontos da cidade, mas a igreja faz parte principalmente da paisagem dos casarões coloniais que ficam ao redor e da Serra de São José.

Catedral Basílica de Nossa Senhora do Pilar – São João Del Rei

Imagens por Paula Santinati

Em 1703 uma capela foi erguida no Morro da Forca, e aos poucos um arraial foi sendo formado ao seu redor. Mas infelizmente durante a Guerra dos Emboabas a capela foi incendiada. Por esse motivo decidiram construir uma nova para substituir a que foi perdida pelas chamas, mas deveria ser construída em outro local, no centro.

Sua construção começou em 1711 mas apenas os homens brancos mais ricos da cidade poderiam entrar naquele local. Por esse motivo, resolveram expandir a construção em 1721. Foi construído até um cemitério no terreno e com isso a igreja se transformou no que conhecemos nos dias de hoje.

Mas foi apenas em 1960 que a Matriz foi elevada à Catedral.

Sua construção foi feita em alvenaria de pedra com a estética neoclássica do século XIX.

Igreja e Cemitério São Francisco de Assis – São João Del Rei

Imagens por Paula Santinati

Uma das principais obras com arte colonial do Brasil, feito por Aleijadinho e Francisco de Lima, é a Igreja e Cemitério São Francisco de Assis de São João Del Rei. Fundada em 1749 e tombada pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (IPHAN).

Suas características únicas do estilo Rococó contrasta com a fachada colonial. O uso de ouro em paredes brancas, com foco em pequenos detalhes em seu interior a difere de outras igrejas da época. O objetivo era buscar uma identidade cultural para o país.

Além do passeio pela igreja, você pode conhecer o cemitério que fica nos fundos. Nele, estão enterradas algumas personalidades brasileiras, como Tancredo Neves.

Praça Minas Gerais

Imagens por Paula Santinati

A Praça Minas Gerais é a maior atração de Mariana. Nela você encontra um conjunto de três belas construções históricas: a Igreja São Francisco de Assis, a Igreja Nossa Senhora do Carmo e a Casa de Câmara e Cadeia. 

Na Igreja São Francisco de Assis está sepultado o corpo de um pintor chamado Manuel da Costa Athaíde (Mestre Ataíde), que morreu em 1830. Ele ajudou na construção da igreja fazendo as pinturas da sacristia e da nave.

Diversos nomes podem ser atribuídos a construção dos edifícios da praça, como Aleijadinha, Francisco Xavier Carneiro e Mestre Ataíde. Seus estilos são barroco e rococó.

A primeira vila de Minas Gerais e era a cidade mais rica do estado durante o Ciclo do Ouro. Infelizmente o rompimento da barragem da Samarco, em 2015, destruiu uma parte da cidade que até hoje não foi devidamente recuperada, e muitas pessoas ainda pensam que todo o município foi fadado ao desastre, fazendo com que o turismo diminuísse drasticamente.

5 comentários em “5 igrejas históricas de Minas Gerais

  1. O passeio por Minas Gerais é muito marcante, não apenas a apreciação das esculturas dos profetas de Aleijadinho em Congonhas (que, aliás, já valem o passeio), mas também a visita à gruta de Maquiné. Vale muito a pena e o estado de Minas Gerais de fato respira história. Quase se podem sentir os versos de Cecília Meireles em seu livro “Romanceiro da Inconfidência”!

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s